Cruzeiro empata com o Atlético-MG no Horto e é campeão mineiro invicto

Precisando da vitória, o Atlético entrou em campo com uma formação mais ofensiva, com Luan na função de armador e Geuvânio no lugar de Cazares, contundido, aberto pela direita. E foi dos pés do camisa 49 o primeiro lance de perigo, aos 5 minutos, após cobrança de lateral de Guga, que mandou a bola dentro da grande área. O atacante tocou para Ricardo Oliveira, que, tentando deslocar o goleiro Fábio, mandou por cima, acertando o travessão. A bola ainda voltou para Luan, que chutou cruzado, para fora.

Enquanto o Atlético buscava trabalhar a troca de passes dentro da grande área, a partir do lado direito, com Guga e Geuvânio, o Cruzeiro, mais bem organizado, jogava com velocidade no contra-ataque, aproveitando os espaços deixados pelo Galo. Aos 11 minutos, foi a vez dos visitantes terem uma bola no travessão de Victor. Marquinhos Gabriel cruzou da esquerda e, Igor Rabello, ao cortar o lançamento, jogou contra o patrimônio.

Se Geuvânio se destacava no lado direito, Chará, a exemplo do primeiro jogo da final, também passou a fazer a diferença do lado esquerdo. Após arriscar um chute de fora da área, aos 29 minutos ele realiza um belo lançamento para Ricardo Oliveira, que fica cara a cara com Fábio. O goleiro cruzeirense espalma e Elias entra em velocidade na grande área, ganhando de Dodô na disputa pelo alto, e chutando para gol. O zagueiro Léo tenta tirar, com a bola batendo na trave antes de entrar.

Mesmo com o gol, que já lhe dava o título de campeão mineiro, o Atlético não parou. Geuvânio, ovacionado pela torcida, recebeu um longo lançamento na direita, dribla Dodô – pouco inspirado na defesa, apesar de bons momentos no ataque – e chuta cruzado, obrigando Fábio a pular e mandar para fora.

Além da boa atuação do Atlético, outro destaque do primeiro tempo foi o VAR, várias vezes acionado. Em duas ocasiões, foi determinante para a marcação de dois cartões amarelos, de Geuvânio, logo no início, autor de uma entrada dura em Dodô, e de Edílson, que deu um pisão em Ricardo Oliveira.

Cruzeiro voltou com maior ímpeto para o segundo tempo e quase empatou, numa cobrança de falta de Robinho, com a bola passando raspando da trave direita de Victor. Mas esbarrava na forte defesa do Galo, evidenciando para entrar na área. Jogando de forma organizada e com o tempo a seu favor, o Atlético não dispensou as subidas ao ataque, chegando com perigo.

Mano Menezes pôs em campo Pedro Rocha e Thiago Neves e, a partir do primeiro, surgiu o gol de empate do Cruzeiro, aos 34 minutos. Numa jogada pela esquerda, quando buscou o drible em Leonardo Silva, a bola tocou no braço do zagueiro já caído. Depois de consulta ao VAR, o árbitro Leandro Bizzio marcou pênalti. Fred bateu no canto direito e fez o gol do título, o 12º dele no campeonato regional. 

Fred tira selfie com taça do Campeonato Mineiro após título do Cruzeiro

Fred tira selfie com taça do Campeonato Mineiro após título do Cruzeiro (Giazi Cavalcante/Codigo19/Folhapress)

Os dois times agora retomam as suas atenções para a Copa Libertadores, em situações distintas. Com apenas três pontos em quatro jogos, o Galo tem uma missão difícil pela frente, precisando vencer os seus dois próximos jogos – o primeiro contra o Nacional, nesta terça, às 21h30, no Mineirão. Líder em seu grupo, o Cruzeiro pega o Deportivo Lara, também na terça, às 17h, na Venezuela.

ATLÉTICO 1 X 1 CRUZEIRO

GOL – Elias, aos 29 minutos do primeiro tempo. Fred, aos 34 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Geuvânio, Luan, Ricardo Oliveira, Victor, Edílson, Luan, Thiago Neves, Fred, Fábio

ATLÉTICO – Victor; Guga, Léo Silva, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Alerrandro), Elias, Geuvânio (Maicon Bolt), Luan (Vina) e Chará; Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana.

CRUZEIRO – Fábio; Edilson, Léo, Dedé e Dodô; Henrique, Lucas Romero (Thiago Neves), Robinho, Marquinhos Gabriel (Pedro Rocha) e Rodriguinho (Lucas Silva); Fred. Técnico: Mano Menezes.

ARBITRAGEM – Leandro Bizzio Marinho (CBF/SP) apita a partida, auxiliado por Rafael Alves (CBF/RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Júnior (CBF/RS). Leandro Pedro Vuaden (CBF/RS) é o árbitro de vídeo

LOCAL – Independência

PÚBLICO –21.862

RENDA –  R$ 1.208.669,00