Novo técnico do Vitória pode ter só dois jogos com Ricardo David


A notícia a seguir pode ser encarada sob duas perspectivas. A primeira, positiva: em meio à crise causada pela eliminação precoce do Campeonato Baiano, a diretoria do Vitória agiu muito rápido e anunciou um novo treinador menos de 24 horas após a demissão de Marcelo Chamusca. Trata-se de Claudio Tencati.

Agora o lado no mínimo discutível dessa contratação: Tencati chega com contrato até novembro, sendo que o Leão deve passar por eleições em abril, nas quais o presidente que o contratou, Ricardo David, deixaria o clube.

O treinador tem chegada a Salvador prevista para a noite desta terça-feira (19). Sua apresentação na Toca do Leão está marcada para a tarde desta quarta-feira (20), quando ele vai comandar a sua primeira atividade com o elenco.

Tencati tem apenas dois jogos garantidos no calendário antes do início da Série B. O rubro-negro enfrenta o ABC no sábado (23), às 16h, fora de casa, pela penúltima rodada da primeira fase do Nordestão.

No sábado seguinte, o Leão recebe o Náutico, às 16h. Se não classificar a equipe para a segunda fase da Copa do Nordeste, estes podem ser os únicos jogos de Tencati sob a gestão de Ricardo David.

O rubro-negro ainda não venceu na Copa do Nordeste. Com cinco empates e uma derrota, a equipe aparece em 5º lugar no Grupo A. Tem a mesma pontuação do CRB, 4º, porém um gol a menos de saldo. O Salgueiro, 3º colocado, tem seis pontos.

Quem é?

Uma questão que certamente vem à mente do leitor é: quem é Claudio Tencati? O técnico paranaense de 45 anos começou a carreira como auxiliar no Cianorte do técnico Caio Júnior, vítima do acidente da Chapecoense em 2016.

A primeira experiência como treinador, no entanto, foi em 2011, pelo Londrina. Ficou lá até novembro de 2017, depois de seis anos e sete meses, tornando-se o técnico mais longevo do Brasil.

No clube paranaense, Tencati ganhou fama nacional ao tirar a equipe das últimas divisões e ter acessos seguidos. Em 2011, subiu da segundona do Paranaense para a elite.

Em 2014, foi campeão estadual e conquistou o acesso à Série C. No ano seguinte, subiu à Série B.

Em 2016, ele acabou em 6º na Série B, há três pontos do acesso, e em 2017 acabou em 5º lugar, há apenas dois pontos da Série A.

Em 2017, o treinador ainda surpreendeu ao ser campeão invicto da Primeira Liga, torneio entre clubes de Minas, Rio de Janeiro e dos estados do Sul. Para levantar o troféu, passou por equipes como Cruzeiro, Atlético-MG e Fluminense, na final.

Ao final de 2017, o treinador chegou a um acordo e deixou o Londrina para tentar vaga num clube maior. Sem alcançar o objetivo, fechou com o Atlético-GO. Ficou no Dragão de fevereiro até outubro, quando foi demitido. Deixou o clube em 6º na Série B.

O desempenho de Tencati à frente do Londrina foi de 269 jogos, com 131 vitórias, 72 empates e 66 derrotas – um aproveitamento de 57,62% dos pontos disputados.

No Atlético-GO, o desempenho ficou bem aquém do esperado. Ao longo de 42 jogos, o treinador obteve 16 vitórias, 13 empates e 13 derrotas. Um aproveitamento final de 48,41% dos pontos.