Onze pessoas morrem por complicações de tempestade na Grande SP

Ao menos 11 pessoas morreram na Grande São Paulo entre a noite deste domingo (10) e a manhã desta segunda-feira (11) em decorrência de uma tempestade.

Os óbitos aconteceram na capital e em cidades da Grande São Paulo e do ABC. Quatro vítimas morreram em deslizamento de terra em Ribeirão Pires. Uma criança morreu soterrada em Embu das Artes, e outra criança morta sob escombros no Parque São Rafael, na Zona Leste da capital. Uma morte por afogamento no bairro Ipiranga, na capital e mais cinco afogamentos no ABC: Três pessoas em São Caetano do Sul, uma pessoa em Santo André, e uma em São Bernardo do Campo.

O Corpo de Bombeiros segue publicado em sua página no Twitter um balanço atualizado do número de mortos e ocorrências relacionadas às chuvas.

Em Ribeirão Pires, na Grande SP, uma casa desabou por volta das 23h40 deste domingo e matou quatro pessoas. Outras duas pessoas que estavam soterradas foram socorridas pelo Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência). A casa está localizada na rua Caiçara, na altura no número 100, no bairro Estância das Rosas.

As doze vítimas do temporal ainda não foram identificadas, segundo o Corpo de Bombeiros.

No bairro São Rafael (zona leste), o deslizamento de terra sobre uma casa atingiu uma mãe e duas crianças. Uma delas ficou ferida em estado grave e foi levada ao Pronto-Socorro de Sapopemba.

De acordo com Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros de São Paulo, a corporação foi acionada para 601 ocorrências relacionadas com a chuva entre domingo e esta segunda-feira (11). “A prioridade é atender todas as vítimas que estão em locais de difícil acesso e ilhadas dentro de veículos”, informou.

Toda a capital foi colocada em estado de atenção, segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências). Houve o transbordamento do rio Tamanduateí, na avenida do Estado, e também do córrego da Mooca, na zona leste. A Prefeitura de São Paulo suspendeu o rodízio de veículos no período da manhã desta segunda-feira (11).

A capital amanheceu com pontos de alagamentos na Marginal Tietê, nas pontes do Limão, Piqueri e Dutra. A linha 10 – turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), que passa pelo ABC, está paralisada porque as estações e os trens estão tomados pela água. Não há previsão de normalização.

As principais vias de ligação do ABC com a capital sofreram alagamentos e muitos trechos foram interditados. Na rodovia Anchieta, na altura do km 13, em São Bernardo, as pistas centrais e marginais ficaram bloqueadas tanto no sentido capital quanto em direção ao litoral devido ao transbordamento do córrego Ribeirão dos Couros. Na Ayrton Senna, o tráfego apresentava lentidão em direção à capital paulista do km 23 ao km 11, por excesso de veículos.

Moradores e motoristas ilhados em carros foram resgatados por botes na região do Ipiranga (zona sul) e também no ABC. Segundo último balanço do Corpo de Bombeiros, houve 54 desabamentos ou deslizamentos e 34 quedas de árvores, em ações concentradas na região metropolitana de São Paulo.

PREVISÃO DO TEMPO

Após o temporal desta madrugada, o céu vai ficar encoberto e com garoa ocasional na Grande São Paulo na manhã desta segunda. Durante a tarde, no entanto, a chuva deverá voltar com força, segundo o CGE.

Os termômetros deverão oscilar entre 19ºC e 24ºC nesta segunda.

Na terça (12), a previsão é de sol entre nuvens pela manhã e sensação de tempo abafado. Entre a tarde e o início da noite, áreas de instabilidade poderão se formar e provocar chuva em forma de pancadas fortes, com trovoadas e rajadas de vento. A temperatura máxima atingirá 28ºC.

O Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo informou que o maior volume de chuva, das 19h de ontem às 7h de hoje, foi registrado em Jabaquara, 109,5 milímetros, e na Vila Prudente, 103,3mm.

Com informações da FolhaPress