Talisca lembra história no Bahia e confirma desejo de voltar

O meia-atacante, Anderson Talista, concedeu entrevista exclusiva para a equipe dos Galáticos nesta segunda-feira (18). O atleta, que atualmente defende o Guangzhou Evergrande, da China, falou sobre a carreira no Bahia e revelou o desejo de vestir a camisa do Tricolor no futuro.

“Cheguei no Bahia em  2009. Graças a Deus deu tudo certo. Comecei nas divisões de base, fui para o profissional e graças a Deus consegui construir uma carreira muito bonita no clube e pretendo voltar e finalizar essa carreira um dia”

Apesar de confirmar interesse em defender o Bahia em uma nova oportunidade, Talisca afirmou que está apenas passando a quarentena no Brasil, mas que ainda não pensa em voltar: “Não tenho pretensão de voltar ao Brasil, nenhuma”, destacou o jogador.

Talisca lembrou dos tempos em que defendeu o Bahia desde a base e falou sobre quando estreou na equipe profissional. “Quem me subiu foi o treinador Jorginho. Foi ele que me colocou para jogar no profissional do Esporte Clube Bahia”, afirmou.

O jogador também falou sobre a boa fase que vive atualmente. Questionado sobre a evolução na qualidade do jogo, Talisca destacou a personalidade. “Sempre tive uma certeza em mim, sempre confiei no meu trabalho, sempre tive a grande certeza do que eu queria dentro do clube. Quando você sobe da base, a cobrança é muito grande, sempre tive personalidade”, disse.

Com carreira em Portugal e na Turquia, atuando pelo continente europeu, Talisca falou sobe a boa passagem que teve pelo Besiktas, antes chegar ao futebol chines.

“Minha melhor fase foi na Turquia. Em Portugal eu vivi grandes momentos, foi uma grande ascensão para mim. Ganhei sete títulos em quase três anos. Foi muito título. Na Turquia fui para a seleção brasileira, foi melhor jogador do Campeonato Turco, fui campeão, ganhei várias competições. Só tenho evoluído”, afirmou.

Confira outras partes da entrevista: 

Seleção Brasileira

– Creio que são escolhas e a gente não pode fazer nada. Se ele (Tite) escolhe dessa maneira, temos que respeitar, faz parte

– Hoje vai muitos jogadores convocados (da china). Paulinho, Hulk, Oscar. Eu acho que o Campeonato Chinês evoluiu bastante, tanto que o número de estrangeiros aumentou. Acho que não tem essa questão de liga, até porque eu estava na Turquia, fiz grandes temporadas, fui convocado mas não joguei

– Fui convocado para a seleção principal na última convocação antes da copa. Fui capitão na seleção sub-23, da seleção que ganhou o ouro olímpico, só que quando teve a convocação, foi o Micale que fez, eu estava machucado no Benfica, no joelho, acabei não indo. Fiz toda seleção de base, até chegar ao profissional 

Posição preferida

– Quando eu era da base, fiz muitas funções. Isso me capacitou a jogar em alto nível também. Jogo em todas as posições do meio para frente, mas hoje, se você olhar para o Anderson Talisca, você vê um novo jogador. Já tem uma posição que eu jogo, uma característica. Eu jogo, mas os treinadores já me veem de uma maneira muito diferente

– Hoje a minha posição é meia-atacante. Tenho total liberdade para chegar ao ataque, tenho uma evolução muito grande no futebol

– É basicamente o posicionamento do Messi, a minha posição. Agora eu chego em casa e minha mãe fala ‘você ta um homem gol’, eu entro na área, finalizo

Redução de salários futebol chinês

– Lá no futebol chinês não teve isso. O clube não informou. Pagam em dias ou então até antes, cumprem esse compromisso, não tem esse problema

Trabalho com Jorge jesus no Benfica

– Foi um trabalho muito difícil. A cultura europeia é muito diferente. Ele fez com que eu me tornasse um grande jogador.

Galáticos Online /Foto: Reprodução