Artistas e autoridades lamentam morte de Jotinha: ‘Não tinha quem não gostava’

Artistas e autoridades lamentaram a morte do humorista baiano José Luiz Almeida da Silva, conhecido como Jotinha. Ele faleceu na noite desta quinta-feira (5), aos 52 anos, de falência de múltiplos órgãos após contrair a covid-19, em um hospital da cidade de Santo Antônio de Jesus, no recôncavo baiano, onde estava internado desde terça-feira (3), quando deu entrada passando mal.

A informação foi confirmada no início da noite pelo secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas. “É com muito pesar que recebi a notícia do falecimento do nosso @jotinhadobahea de falência de múltiplos órgãos, ocorrida há pouco, em consequência da #COVID19. Meus sentimentos à família enlutada e a todos que o admiravam”, afirmou o titular da Sesab, em postagem no Twitter.

O prefeito de Salvador, ACM Neto, comentou que está muito sentido com a notícia. “Era um grande humorista, carismático e dono dos melhores áudios do WhatsApp. Em 2018 e 2019, fez trabalhos muito bacanas para a Prefeitura, divulgando o Natal de Salvador para todo Brasil. Meus sentimentos à família e aos fãs”, disse o representante.

O apresentador e humorista Danilo Gentili disse que está muito triste e afirmou que passou momentos marcantes ao lado de Jotinha. “Tô extremamente triste pelo falecimento do Jotinha – eu era muito feliz sempre que o encontrava. Ele realmente tinha uma presença cativante como poucas. Não tinha quem não gostava desse cara. Muito triste por isso 🙁 Muito mesmo. Fará muita falta”, escreveu.

O cantor Manno Góes destacou que Jotinha era a baianidade em forma de gente: “Oh, papá. Que notícia triste. Jotinha deixa um registro de alegria, de diversão, de baianidade. Não tinha como não gostar de Jotinha. Mais uma vítima do Covid. Estava sendo bem acompanhado e tenho certeza de que foi feito o que foi possível. Não tem como não ficar triste com essa notícia. Descanse em paz, Jotinha”.

O Esporte Clube Bahia – time do coração do humorista – também prestou uma homenagem: “Alegria, simplicidade e baianidade. Ele era tudo isso e muito mais. Não à toa foi a voz, a cara e o espírito do Esquadrão. Jotinha representa a beleza da nossa gente. A beleza do interior da Bahia. O bom humor que não arreda o pé. O sorriso que cura a dor. Boa viagem, Papá”.

Recôncavo no Ar